banner - CBCAT 2021
Voltar

Show De Talentos

Tipo:

Confraternização

Categoria:

Cerimônias

Local:

Sala Virtual - Show 16/09

Data e hora:

22:30 até 0:00 em 16/09/2021

Catalisador SBCat 2021


Eduardo Falabella

Dr(a). Eduardo Falabella

UFRJ

Prof. Eduardo Falabella Sousa-Aguiar, Engenheiro Químico, MSc, DSc, tem 45 anos de experiência no campo da catálise e dos processos catalíticos. Trabalha na Universidade Federal do Rio de Janeiro há 40 anos, sendo atualmente Professor Titular do Departamento de Processos Orgânicos da Escola de Química, onde introduziu os cursos de Catálise e Refino de Petróleo. Foi pesquisador (Consultor Sênior) do Centro de Pesquisas da Petrobras (CENPES) por mais de 30 anos, onde coordenou os projetos de pesquisa em BTL/GTL/CTL no CENPES, tendo sido gerente da célula GTL, um grupo estruturado com o objetivo de desenvolver uma tecnologia GTL para Petrobras.

Esteve envolvido em muitas atividades e projetos de pesquisa e passou considerável tempo como membro da equipe que transferiu a tecnologia de catalisadores de craqueamento da AKZO Nobel para a FCCSA. Trabalhou por certo período como pesquisador no Centro de Pesquisas da AKZO Nobel, em Amsterdã, na Universidade de Brunel, Reino Unido, na Universidade Técnica de Viena e na planta da Texas Ketjen, em Houston, EUA. Prof. Falabella é autor de mais de 300 trabalhos científicos nacionais e internacionais, tendo orientado mais de trinta teses de mestrado e doutorado. Foi ponto focal no Brasil do programa internacional CYTED, subprograma de Catalise Ambiental e atuou por 15 anos como consultor do ICS-UNIDO no campo de tecnologias limpas.

Recentemente, foi convidado a integrar o Comitê Científico do ICS-UNIDO. Recebeu diversos prêmios, destacando-se o Plínio Cantanhede, em 1994, como maior contribuição científica à área de petróleo e petroquímica no Brasil, o Governador Estado de São Paulo, em 1998, por sua patente internacional e a Retorta de Ouro, em 2000, por suas realizações e contribuições à Comunidade Catalítica Nacional. Em 2005, foi agraciado com o prêmio Catálise e Sociedade, pela criação da Rede Nacional de Transformação Química de Gás Natural. Recebeu, em 2008, o Prêmio Nacional de Tecnologia da ABIQUIM por seus trabalhos em dimetiléter. Em 2012, recebeu a Medalha Lavoisier do CRQ por sua contribuição ao desenvolvimento da Química no Rio de Janeiro. No ano seguinte, recebeu o prêmio internacional James Oldshue do American Institute of Chemical Engineers por sua contribuição à Engenharia Química Mundial. Em 2014, foi agraciado internacionalmente com o prêmio máximo da Sociedad Iberoamericana de Catálisis como o investigador sênior que mais contribuiu para o desenvolvimento da Catálise em Ibero-América. Em 2017, recebeu o título de Honorary Professor da China University of Petroleum, Qingdao. Foi também nomeado Cientista de Nosso Estado. Em 2021, foi eleito Membro da Academia de Ciencias Físicas, Matemáticas y Naturales da Venezuela. É frequentemente convidado como conferencista em muitos congressos e seminários, tendo sido conferencista plenário em Congressos Internacionais em 21 países.

Alexandre  Leiras

Alexandre Leiras

Escrevermos sobre nós mesmos é uma tarefa ardilosa, pois ou caímos na armadilha da humildade excessiva ou na armadilha de fingirmos que alguém fala sobre nós. Enfim, tentarei não cair em nenhuma das duas. Minhas atividades na área de catálise começaram com o meu estágio no Instituto Nacional de Tecnologia, INT, no Rio de Janeiro, em 1988, sob orientação de Lúcia Appel e Caetano Moraes. Na ocasião, participar da montagem de unidades e preparo de catalisadores foi fundamental para adquirir o gosto pela área, me levando a participar de meu primeiro Seminário de Catálise do IBP no ano seguinte.

Uma vez formado em Engenharia Química na UFRJ, fui para o mestrado na UFSCar (em 1990),  por indicação do querido Caetano Moraes. O trabalho foi desenvolvido em parceria com a Fábrica Carioca de Catalisadores SA, que criou um grande projeto, em parceria com programas de pós-graduação, de formação de recursos humanos na área de catálise, particularmente no estudo de zeólitas. A indicação da UFSCar nessa parceria foi do querido professor Eduardo Falabella e minha dissertação teve a orientação do Professor Dilson Cardoso e do saudoso Jorge Gusmão da Silva, então pesquisador da FCC.

Ao retornar ao Rio de Janeiro, comecei meu doutorado na Coppe/UFRJ, sob orientação do Professor José Luiz Fontes Monteiro e do pesquisador do Cenpes Yiu Lau Lam, também vinculado a um projeto da FCC. Em 1995 tornei-me professor da Escola de Química da UFRJ e, devido a várias atividades assumidas, tranquei a matrícula no Programa de Engenharia Química (PEQ) da Coppe.  Ao retomar o meu doutoramento, agora não mais vinculado a projeto da FCC, tive a coorientação do meu querido e saudoso amigo professor Victor Teixeira.

Ao longo desses mais de 30 anos, participei de todos os Seminários/Congressos e dos Iberos organizados no Brasil, ocorridos desde então, além da organização de vários eventos da área, tendo uma grande atuação nas discussões para a transformação de Seminário em Congresso e depois na criação de nossa SBCat, sendo um dos primeiros associados (inscrição número 18).

Mesmo não sendo um pesquisador de destaque na área, acredito que sempre colaborei, e continuarei colaborando, para a consolidação da nossa Sociedade e para a formação de novos membros, sejam eles da área acadêmica ou do meio industrial.

Presidente do SBCat


Sibele  Berenice Castellã Pergher

Dr(a). Sibele Berenice Castellã Pergher

UFRN

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Maringá (1993) e doutorado em Química - Universidad Politecnica de Valencia – Espanha (1997). Realizou dois pós-doutorados no Instituto de Química da UFRGS (2002 e 2009). Foi professora e pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul de 1998 a 2001. Atuou na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI - Campus Erechim de 2001 a 2010 como professora, pesquisadora e coordenadora do Curso de Química. Atualmente é professora e pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN (desde 2010) atuando no curso de Química do Petróleo e nos cursos de Pós-Graduação em Química - PPGQ e de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais – PPGCEM. Foi vice -coordenadora do curso de pós-Graduação em Química de 2010 a 2012 e coordenadora do PPGQ de 2013 a 2016. Foi pró-reitora Adjunta de Pesquisa da UFRN de 2016 a 2019; e desde 2019 é Pró-Reitora de Pesquisa da UFRN. Atualmente é Diretora da Sociedade Brasileira de Catálise - SBCat. Faz parte da comissão de Síntese da International Zeolite Association. E representa o Brasil na FISOCAT - Federación Iberoamericana de Catalisis e na IACS - International Association of Catalysis Societies. É coordenadora e fundadora do Laboratório LABPEMOL - Laboratório de Peneiras Moleculares. Suas linhas de pesquisa são: síntese de catalisadores, zeólitas, argilas, materiais mesoporosos, materiais lamelares, pilarizados e deslaminados, processos de adsorção e catálise. É pesquisadora 1 D do CNPq. Possui mais de 200 artigos publicados, 20 patentes e 500 trabalhos em congressos. Possui uma grande contribuição na formação acadêmica de alunos com mais de 150 orientações concluídas.

Comitê Executivo do SBCat


Cristiane Barbieri Rodella

PhD Cristiane Barbieri Rodella

LNLS-CNPEM

Possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo, mestrado em Física pela Universidade de São Paulo, doutorado em Ciências e Engenharia de Materiais pela Universidade de São Paulo e dois estágios de pós-doutorado em Química Inorgânica na UNICAMP. Desde 2005 trabalha no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS-CNPEM), onde inicialmente participou de projetos científicos de interesse industrial e da montagem de infraestrutura para a realização de experimentos in-situ nas linhas de luz. A partir do final de 2012 passou a ter o cargo de pesquisadora e coordenar a linha de luz de difração de raios X de policristiais do LNLS. Desenvolve pesquisa na área de catálise heterogênea e materiais e dispositivos para armazenamento de energia, com ênfase na caracterização estrutura-funcionalidade em experimentos in situ e operando usando técnicas de luz síncrotron. É líder do Grupo Paineira do Sirius e coordena a construção da linha Paineira, que fará experimentos de difração de raios X de materiais policristalinos. Desenvolve instrumentação para experimentos in situ e operando para análises na Paineira. Faz parte de diretora da SBCat, cargo de secretária, desde 2019