banner - SBPC 2022
Voltar

POLÍCIA E PRISÃO: CONTRIBUIÇÕES PARA O DEBATE PÚBLICO EM TEMPO DE ELEIÇÕES

Tipo:

Mesa-redonda

Categoria:

Sênior

Local:

ICC - Anfiteatro 17

Data e hora:

16:00 até 18:30 em 29/07/2022

Ao longo do período democrático, a violência policial e o encarceramento tornaram-se experiências comuns para a maioria da população brasileira. O crescimento assustador das mortes decorrentes da intervenção policial e da contagem da população carcerária expressam em números abstratos uma transformação profunda no cotidiano das classes populares, de pessoas negras, indígenas e descendentes de indígenas. Como pesquisas e movimentos sociais demonstram, a ampliação do poder das forças policiais e a expansão arquipélago carcerário têm efeitos diretos sobre a distribuição de renda, as condições de moradia e trabalho, a saúde física e mental, o acesso à educação e à justiça e sobre a expectativa de vida. No mesmo período, a segurança pública e o sistema carcerário tornaram-se assuntos corriqueiros nos meios de comunicação de massa e na política de estado, convertendo-se em pautas centrais das eleições legislativas e executivas. Contudo, o debate público é dominado por perspectivas securitárias e punitivistas que colaboram no aprofundamento da violência de estado. Infelizmente, esses temas são considerados espinhosos para o campo político-partidário progressista, que tendeu a reproduzir, no nível federal e estadual, ações que estimularam o encarceramento em massa e o fortalecimento do poder policial. Nesse contexto e considerando a proximidade de mais uma eleição (onde o que está em jogo é justamente a continuidade de uma política de morte), a mesa-redonda pretende promover um debate crítico, dissensual e propositivo, informado por experiências entrecruzadas de pesquisa e de militância. Organizada pelo Comitê de Cidadania, Gestão e Violência Estatal da Associação Brasileira de Antropologia(ABA), a mesa contará com a presença de duas pesquisadoras e uma representação do principal movimento social brasileiro da luta anticarcerária, a Agenda Nacional pelo Desencarceramento.