banner - SBPC 2022
Voltar

SABERES ANTROPOLÓGICOS SOBRE GÊNERO E SEXUALIDADE: CIÊNCIA E CONSERVADORISMOS NO BRASIL ATUAL (ABA)

Tipo:

Mesa-redonda

Categoria:

Sênior

Local:

Remoto

Data e hora:

17:00 até 19:00 em 26/07/2022

video-thumbnail
Postos ao centro de intrincada arena de disputas que implica a própria noção de direitos, gênero e sexualidade converteram-se em lugares privilegiados de observação. Estudos de gênero e sexualidade na Antropologia são nosso ponto de partida para focalizar relações entre ciência e conservadorismos.

Pessoas


Sérgio Luís Carrara

Sérgio Luís Carrara

Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1982), mestrado (1987) e doutorado (1995) em Antropologia Social pelo Museu Nacional / Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde desenvolve pesquisas na área da Antropologia do Corpo e da Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: sexualidade, gênero, homossexualidade, direitos humanos e violência. É editor da Revista Sexualidade, Saúde e Sociedade. Atualmente é pesquisador do Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos - CLAM/IMS//UERJ e do Laboratório Integrado em Diversidade Sexual e de Gênero, Políticas e Direitos - LIDIS/UERJ. Bolsista Produtividade/CNPq 1D.

Lia Zanotta Machado

Lia Zanotta Machado

Universidade de Brasília

Doutora em Ciências Humanas (Sociologia) pela Universidade de São Paulo (1980), com graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1967), mestrado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (1979) e pós-doutorado na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS/Paris) (1994). Professora Titular de Antropologia da Universidade de Brasília desde 1996,é atualmente Pesquisadora Colaboradora Sênior desde 2014.Foi coordenadora da área de antropologia e arqueologia da CAPES de 2011 a 2014. Ex-Conselheira do Conselho Nacional dos Direitos das Mulher e ex-membro de comitê de monitoramento da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres.(2005 a 2008). Foi Professora Visitante da Universidade de Columbia na Cátedra Ruth Cardoso (2009-2010) e na Universidade do Chile (2002) na Cátedra Rio Branco.Atualmente é Presidente da Associação Brasileira de Antropologia na gestão 2017/2018.Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Teoria Antropológica, atuando principalmente nos seguintes temas: violência contra a mulher, saúde e direitos reprodutivos, violência domestica, gênero e família, antropologia do gênero, antropologia das políticas públicas de saúde e segurança, práticas jurídicas, e relações entre Estado e movimentos sociais no Brasil e América Latina.